Carregando...
Midiacon News
www.MIDIACON.com.br
Busque por Notícias
Midiacon - Sua mídia conectada
Quinta-feira
13 de dezembro de 2018
18 de abril de 2018 - 15:32 Plástica reparadora é usada para tratar doença congênita que causa manchas gigantes no corpo
Plástica reparadora é usada para tratar doença congênita que causa manchas gigantes no corpo

Foto divulgação Clique para ampliar a imagem

Publicidade

Você já ouviu falar que muitas pessoas possuem marcas de nascença, certo? Você mesmo pode ter uma. Mas, e quando essa marca de nascença, cujo termo médico é nevo, ocupa metade da face ou do tronco? Quando isso acontece é diagnosticado o Nevo Melanocítico Congênito (NMC).

Segundo o cirurgião plástico, Dr. Luiz Molina, trata-se de uma condição causada pelo acúmulo de melanócitos, células pigmentares que dão cor à pele. Em condições normais, a cor é bem distribuída. Já em quem nasce com o NMC, as células são mal distribuídas, levando ao aparecimento das manchas. "Estima-se que o NMC afeta 1 em cada 100 bebês nascidos vivos. Entretanto, ao considerar o nevo gigante, a estimativa vai para 1 em cada 20 mil bebês nascidos vivos. As principais áreas afetas são o rosto e o tronco".

Muito além da estética
Pesquisas mostram que pintas ou manchas pigmentadas estão associados ao melanoma, tipo de tumor de pele agressivo. "Portanto, crianças com nevo têm risco aumentado para desenvolver este tipo de câncer. Outras poderão apresentar problemas no sistema nervoso central devido à presença de melanócitos no cérebro ou na medula espinhal", comenta Dr. Molina.

Outro importante impacto do nevvo diz respeito ao aspecto emocional, já que as crianças precisam enfrentar o preconceito sobre sua aparência, sem ainda possuir estrutura emocional para regular as emoções. Sendo assim, o NMC é uma condição que impacta na saúde física e emocional.

Remoção cirúrgica
A remoção cirúrgica pode ser indicada em vários casos, principalmente quando há risco aumentado para melanoma e impacto social importante. Nas manchas menores, a cirurgia é menos complexa e compreende a retirada do nevo e costura da pele em volta. O procedimento pode deixar uma pequena cicatriz.

De acordo com Dr. Molina, nos nevos gigantes, a cirurgia é mais complexa. "Na remoção de um nevo gigante, o cirurgião plástico irá retirar o máximo possível da mancha, procurando minimizar as cicatrizes. Além disso, exige o enxerto de pele na área em que o nevo foi removido, portanto, a retirada implica em cicatrizes".

Em alguns casos, a pele é esticada até cobrir a área removida. Atualmente, é usada uma técnica de expansão da pele. Antes da cirurgia, é implantado um expansor temporário para estivar a pele e usá-la na cirurgia. Isto é particularmente importante para crianças. A escolha de um cirurgião com experiência neste tipo de cirurgia é fundamental para um resultado adequado.






Fonte: Redação
© Copyright 2006 - Midiacon - Todos os direitos reservados
info@midiacon.com.br - Tel.: +55 11 3796 2965
Desenvolvimento mastermedia