Carregando...
Midiacon News
www.MIDIACON.com.br
Busque por Notícias
Midiacon - Sua mídia conectada
Quinta-feira
21 de junho de 2018
7 de março de 2018 - 11:5 Em SP, 65% dos casos de estupro foram dentro de casa, diz levantamento
Em SP, 65% dos casos de estupro foram dentro de casa, diz levantamento

Portal G1 Clique para ampliar a imagem

Publicidade

Dados obtidos pela GloboNews mostram que em 80% dos casos o agressor é conhecido da vítima.

Dados obtidos pela GloboNews mostram que 65% dos casos de estupro registrados no estado de São Paulo ocorreram dentro de casa. A reportagem avaliou 23.226 boletins de ocorrência registrados em 2016 e 2017 de casos de estupro e estupro de vulnerável (quando a vítima do crime é menor de 14 anos) . Os dados exclusivos são da Secretaria de Estado da Segurança Pública e foram obtidos por meio da Lei de Acesso à Informação.

Ainda segundo o levantamento, 85% das vítimas são mulheres e 80% dos suspeitos eram pessoas conhecidas das vítimas.

23.226 - total de boletins de ocorrência registrados

15.135 (65% do total) casos ocorreram dentro de casa (área residencial)

4.516 (19% do total) ocorreram em via pública

724 (2,4%) ocorreram em estabelecimento de ensino (escolas, universidades e creches)

574 (3,1%) ocorreram em área comercial

333 (1,4%) ocorreram em estabelecimeentos de saúde (hospitais, clínicas e postos de saúde)

98 (0,4%) ocorreram em áreas do transporte público (vagões do metrô ou de trens, ônibus ou estações)

1.846 (7,9%) não foi informado

Idade dos suspeitos:
Em 21.015 das ocorrências (90,5%), o suspeito do crime era um adulto

Em 2.211 casos (9,5%), o autor do ato infracional envolvia um ou mais menores de 18 anos

Roberta Astolfi, pesquisadora do Fórum Brasileiro de Segurança Pública, diz que a confiança da vítima na pessoa que depois vai agredi-la é um facilitador para a agressão.

"Os casos feitos por conhecidos precisam ser levados muito a sério. Quando a vítima relata à polícia ou a alguma unidade de saúde um caso não é porque é um familiar ou amigo próximo que a vítima é de alguma forma responsável", afirma.

Ela destaca que os profissionais de saúde podem ajudar a tentar reconhecer casos que não tenham sido declarados.

A Secretaria de Segurança Pública diz que tem adotado medidas contra o estupro e que as vítimas podem procurar as delegacias especializadas em violência contra a mulher.

Fonte: Portal G1
© Copyright 2006 - Midiacon - Todos os direitos reservados
info@midiacon.com.br - Tel.: +55 11 3796 2965
Desenvolvimento mastermedia