Verdades e mentiras sobre a infecção urinária!

0 38

A infecção urinária é um problema de saúde bastante comum nos consultórios de urologia. Pesquisa realizada pelo Instituto Ipec em 2021 indica que cerca de 30% da população sofre com a condição no país.

Como o nome indica, essa doença é caracterizada por uma infecção no trato urinário. Está associada à bactéria Escherichia coli em oito a cada dez casos, conforme aponta a Sociedade Brasileira de Urologia (SBU).

Um dos seus principais sintomas é a vontade excessiva de urinar — que, na maioria das vezes, foge do controle. No entanto, há ainda uma série de sinais e causas que envolvem o problema, variando entre cada indivíduo.

Por ser comum e com muitas condições, existem várias teorias sobre a infecção urinária. Ter o conhecimento do que é verdade ou mentira é essencial para garantir um acompanhamento especializado e minimizar os riscos à saúde.

Só mulheres podem ter infecção urinária!

Mentira. Embora atinja mais o público feminino, homens também podem ser acometidos pela doença. A incidência é maior entre mulheres devido a questões anatômicas, segundo a Sociedade Brasileira de Nefrologia (SBN).

Como explica o órgão, o canal da uretra feminina é mais curto que o masculino, favorecendo a proliferação de bactérias e o surgimento da infecção na bexiga.

A SBU informa que as mulheres têm 50 vezes mais chances de manifestar a patologia. A estimativa é que, ao longo da vida, 50% a 80% delas tenham algum tipo de infecção no trato urinário.

Já os homens também podem desenvolvê-la, mas geralmente há uma relação com outras condições, como a doença prostática.

Urinar após relações sexuais ajuda a minimizar riscos da infecção!

Verdade. Na área da ginecologia, ressalta-se a importância de urinar após o sexo. Prevenir a infecção urinária seria um dos benefícios.

Apesar de alguns portais ligados à saúde discordarem da relação, a Fundação Oswaldo Cruz afirma que essa ação funciona como uma lavagem no canal da uretra, ajudando a remover os resíduos e evitando possíveis infecções causadas por bactérias que estejam no local.

Ardor ao urinar e aumento na vontade de ir ao banheiro são os únicos sintomas de infecção urinária!

Mentira. De acordo com a Biblioteca Virtual em Saúde, do Ministério da Saúde, a condição pode causar também dores na bexiga, nas costas e no baixo ventre, além de febre, diminuição da quantidade de urina a cada micção e, em casos mais graves, sangramentos.

Usar roupa de banho molhada por muito tempo favorece o surgimento da infecção urinária!

Verdade. Segundo a Sociedade Mineira de Nefrologia (SMN), há um aumento na incidência de infecção urinária durante o verão. A época do ano marcada por praia, sol, piscina e calor é a ideal para a proliferação de fungos e bactérias, principalmente as responsáveis pela doença.

O uso prolongado de roupas íntimas úmidas, como biquínis e maiôs, contribui com o surgimento desses microrganismos e, consequentemente, de infecções.

Hidratação ajuda a prevenir o problema!

Verdade. Ainda segundo a SMN, outro motivo que torna o verão uma época de maior incidência da infecção urinária é a falta de hidratação. A perda de líquido pelo suor e respiração não costuma ser reposta como deveria, gerando menor quantidade de urina.

Cultivar o hábito de beber água durante o dia previne os riscos de infecção. O Ministério da Saúde afirma que essa prática ajuda na produção de urina, que auxilia a expelir as bactérias da bexiga. Somado a isso, o órgão também elenca que manter os cuidados com higiene e evitar o uso de roupas muito apertadas podem minimizar os riscos.

Tomar antibiótico resolve o problema!

Verdade. Os antibióticos costumam ser prescritos pelos médicos aos pacientes com infecção urinária grave, pois nos casos mais leves o próprio organismo expulsa a bactéria naturalmente.

Em casos de cistites infecciosas, o uso dessas medicações ou quimioterápicos é comum para tratar a doença. A SBN aponta que a escolha do antibiótico vai depender do tipo de bactéria encontrada em exames laboratoriais, da pessoa afetada (idosos, mulheres, gestantes ou crianças) e da própria evolução do quadro clínico.

Ainda conforme o órgão, a possibilidade de cura é grande quando o tratamento é seguido à risca. Tanto a SBN quanto a SBU reforçam que, em casos de infecção urinária, o uso de qualquer medicação só deve ser feito após orientação médica.

Não perca tempo procurando as melhores informações. Assine a nossa newsletter e tenha tudo reunido em um só lugar!
Você merece estar por dentro de tudo o que acontece! Inscreva-se agora e receba as últimas notícias, atualizações e ofertas especiais em primeira mão, diretamente em sua caixa de entrada
Você pode cancelar sua inscrição a qualquer momento

Receba atualizações em tempo real diretamente no seu dispositivo, assine agora.

Comentários
Carregando...

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceitar consulte Mais informação